A História da Filmagem e do Cinema

By Monnerat
In outubro 19, 2014
2473 Views

Indícios históricos e arqueológicos comprovam que é antiga a preocupação do homem com o registro do movimento. O desenho e a pintura foram as primeiras formas de representar os aspectos dinâmicos da vida humana e da natureza, produzindo narrativas através de figuras. O jogo de sombras do teatro de marionetes oriental é considerado um dos mais remotos precursores do cinema. Experiências posteriores como a câmara escura e a lanterna mágica constituem os fundamentos da ciência óptica, que torna possível a realidade cinematográfica.

Para captar e reproduzir a imagem do movimento são construídos vários aparelhos baseados no fenômeno da persistência retiniana (fração de segundo em que a imagem permanece na retina), descoberto pelo inglês Peter Mark Roger, em 1826. A fotografia, desenvolvida simultaneamente por Louis-Jacques Daguerre e Joseph Nicéphore Niepce, e as pesquisas de captação e análise do movimento representam um avanço decisivo na direção do cinematógrafo.

Pequenos documentários e ficções são os primeiros gêneros do cinema. A linguagem cinematográfica se desenvolve, criando estruturas narrativas. Na França, na primeira década do século XX, são filmadas peças de teatro, com grandes nomes do palco, como Sarah Bernhardt. Em 1913 surgem, com Max Linder – que mais tarde inspiraria Chaplin –, o primeiro tipo cômico e, com o Fantômas, de Louis Feuillade, o primeiro seriado policial.

A produção de comédias se intensifica nos Estados Unidos e chega à Inglaterra e Rússia.

Na Itália, Giovanni Pastrone realiza superproduções épicas e históricas, como Cabíria, de 1914.Na década de 50 surgiu a primeira máquina que capturava em fita magnética as imagens de vídeo ao vivo criada pela Ampex Corporation. Até então as pessoas podiam contar com as pequenas filmadoras com filme de 16mm e 8mm.

A Ampex vendeu uma de suas primeiras câmeras de vídeo (VTR) por 50 000 dólares para a Central Broadcasting System – mais conhecida como rede de televisão ABC dos EUA – que exibiu programa Douglas Edwards and the News no dia 30 de novembro de 1956. Esse foi o primeiro programa de TV a exibir imagens em videotape. Apesar de os aparelhos serem grandes, complexos e frágeis, esse foi um avanço incrível. Em vez de fazer TV ao vivo, os produtores poderiam gravar os programas para serem exibidos mais tarde. Os enormes rolos de fita magnética eram produzidos pela 3M Company.

Levou quase 20 anos para a tecnologia dos tapes. O sistema de vídeo tape profissional lançado em 1971 pela Sony no formato U-Matic foi o primeiro a utilizar fita magnética dentro de um cartucho facilitando a operação e que substituiria as máquinas de carretel aberto. O padrão Betamax (1975) é derivado do profissional U-Matic e era mais compacto que o VHS que mesmo assim veio a prevalecer depois.

Por um tempo as duas marcas brigaram pelo mercado de consumo e por fim o VHS venceu, deixando os proprietários dos Beta com um trambolhão em casa. A Beta ainda lançou uma filmadora portátil em 1983 que andou deslocando o ombro de muito cineasta por aí, pois era um trambolhão do tamanho de uma mala, mas 2 anos depois a Sony lançou uma filmadora com fita de vídeo de 8mm bem menor e mais intuitiva.

Estas câmeras eram populares e fáceis de manusear, mas tirando a função divertida de registrar os momentos de lazer da família, tinham uma qualidade de imagem muito ruim. Outra coisa que ocorria com as fitas magnéticas é que conforme se regravava uma fita, a qualidade da imagem ia ficando cada vez pior. Sem falar que a fita desgastava com o tempo. Por isso, quando a tecnologia do vídeo digital chegou em 1996, ela inovou de várias formas. Primeiro, porque o arquivo digital não se deteriorava com o uso. Segundo, porque se podia gravar várias e várias vezes sem ficar se preocupando com os custos

do filme e também da revelação. Restava ainda trabalhar com relação à qualidade de imagem, o que está sendo feito nos últimos anos a ponto de finalmente a imagem digital estar conseguindo chegar ao cinema. Então, quando você sacar o seu smartfone e sair gravando aquela cena inesquecível ou engraçada, saiba que essa é uma facilidade impossível de ser pensada há cerca de vinte anos atrás.

Fontes: http://giscreatio.blogspot.com.br/2011/05/historia-da-filmadora.html

http://www.webcine.com.br/historia1.htm

Leave A Comment